top of page

“A literatura diz coisas que não podem ser expressas de outra forma”

Afirmação é de Bernardo Carvalho, autor do livro “Nove Noites”, que nesta quinta-feira (25) esteve na Sessão Vestibular da FIL



Sessão Vestibular com Bernardo Carvalho

Bernardo Carvalho, autor do livro “Nove Noites”, participou na manhã do dia 25/08, do terceiro dia da Sessão Vestibular, na Fábrica - Instituto SEB, dentro da programação da 21ª Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL). A conversa teve mediação do professor Marcelo Muller e participação dos alunos do projeto Nau Vestibular. “Nove Noites” faz parte da lista de livros indicados para o vestibular da Fuvest este ano. “Muito se fala sobre a subjetividade do texto literário, mas ele existe para dizer coisas que não podem ser expressas de outra forma. A literatura funciona na linha da resistência, para contradizer os consensos. O meu livro é uma tentativa de alargar os sentidos da literatura”, afirmou o autor.


No auditório do SESC, as aventuras de Geraldo Viramundo por Minas Gerais ocuparam o auditório da unidade para a oficina “O Grande Mentecapto: preparação para Leitura Dramática”, mediada pelo ator Leonardo Miggiorin. A voz e o corpo foram as ferramentas utilizadas na atividade baseada na obra clássica de Fernando Sabino. “É um texto que precisa de atenção porque muita gente ouviu falar, mas não conhece. A oficina é uma forma de promover e reverenciar esse autor tão importante”, comentou Miggiorin. Com jogos em grupo, a atividade foi centrada no processo de internalização do texto e serviu como preparação para a Leitura Dramática de Miggiorin no final da tarde. Publicado em 1979, o romance “O Grande Mentecapto” é título referencial da literatura brasileira.


No Estande Diversidade, a ONG Cão Paixão reuniu amantes de animais e público interessado em geral para uma conversa sobre o projeto, criado em 2009, que treina cães para serem guias e participantes de atividades terapêuticas para pessoas com deficiências. “Especialmente para as crianças deficientes, a presença dos cães em seu dia a dia é muito importante e entendemos ser bastante significativo para a cidade de Ribeirão Preto ter um trabalho como esse, feito com amor e devoção”, pontuou Mércia Soares de Oliveira, presidente da ONG.


Arte em intercâmbio de gerações


“Gosto muito de escrever e essas pessoas me inspiram”. A fala é de Camila Cristina Pereira de Souza, 17, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Otoniel Mota, que esteve presente no Sarau realizado pela Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto (Alarp), na tarde de quinta-feira (25) na FIL. No auditório do Centro Cultural Palace, artistas da literatura, música e artes visuais fizeram apresentações, leituras de poemas e conversa sobre a exposição de quadros instalada no saguão do prédio, com trabalhos produzidos exclusivamente para esta edição da Feira do Livro, em homenagem ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.