Abertura da 21ª FIL teve música, teatro e leituras de cartas “enviadas pelo Brasil”

Na sala principal do Theatro Pedro II, solenidade contou com presença de autoridades locais e estaduais, alguns dos homenageados da edição, representantes de entidades parceiras e imprensa



Cerimonial de Abertura no Theatro Pedro II

Foi oficialmente aberta na noite do dia 19 de agosto, a 21ª Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL), considerada como um dos maiores eventos culturais do país. Entre convidados, autoridades locais, regionais e estaduais, imprensa, representantes das entidades parceiras e público em geral, a solenidade teve recepção ao público com o Coral da Unaerp sob regência de Cristina Modé, e apresentação do espetáculo “Terra Brasílis: toda esta poesia!”, com a Academia Livre de Música e Artes (Alma).



Presidência Fundação do Livro, Dulce Neves, Edgar de Castro, Adriana Silva e Viviane Mendonça

A presidente da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Dulce Neves; juntamente com Adriana Silva, curadora do evento e vice-presidente da Fundação, conduziram o cerimonial de abertura da FIL, que começou de forma criativa e poética, com leituras de cartas enviadas pelo Brasil a realizadores e participantes da feira, homenageados e ao público em geral, com participação da cantora Fernanda Marx e do ator Marcelo Evangelisti no papel de carteiro da cerimônia.


Em sua fala, Dulce Neves pontuou o desafio que representa a ousadia de fazer cultura num Brasil tão contraditório. Adriana Silva convidou o público a se sentir inspirado pela genialidade de Ariano Suassuna e pela convocação de Carolina Maria de Jesus contra a fome e a intensificar as identidades culturais brasileiras por meio dos livros de Daniel Munduruku.



João Suassuna, neto de Ariano Suassuna, homenageado pela 21º FIL

Na primeira parte da solenidade, João Suassuna, neto mais velho do escritor Ariano Suassuna - um dos homenageados desta edição da feira -, destacou a importância da celebração da língua e da literatura brasileira; enquanto o escritor indígena Daniel Munduruku reforçou a força da diversidade cultural brasileira. “O Brasil não é uma coisa e tem muito a dizer com sua diversidade. Tenho muito orgulho por representar aqui as vozes de origem deste país que precisa se reconciliar com seu passado para, depois, dar passos adiante”, falou Daniel. A professora Isabel Cassanta, também homenageada do evento, agradeceu e enfatizou a relevância da FIL para a formação de novos leitores. O autor local homenageado, o poeta João Augusto, agradeceu a reverência ao seu nome e destacou da pluralidade da linguagem e disse que a principal função da palavra é o amor.


Na segunda parte, a superintendente da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Viviane Mendonça, agradeceu à equipe formada por mais de cem profissionais que fazem a engrenagem do evento funcionar. “Muito feliz por estar aqui depois de tanta preparação para esse encontro”, falou Viviane. Marcela Aleixo da Silva Zapparolli, dirigente regional de Ensino, ressaltou o impacto positivo e o diferencial que a FIL promove na vida dos estudantes de Ribeirão Preto, especialmente, crianças, adolescentes e jovens.


Mauro César Jensen, gerente do Sesc Ribeirão Preto, entidade parceira da FIL desde 2015, também fez uso da palavra. “É um prazer e uma oportunidade ímpar para o Sesc poder trazer ao público da FIL uma amostra do que fazemos durante o ano todo”. O CEO da GS Anima Ambient, Paulo Roberto Oliveira representou todas as empresas parceiras da feira. “A FIL mostra que fazer melhor em prol da cultura sempre é possível quando se acredita que vale a pena e, durante dez dias, transforma a cidade de Ribeirão Preto na capital nacional do livro, com programação diversificada e acessível a todos os públicos. Entendemos que iniciativas no universo da cultura, da arte e da educação para adultos, jovens e crianças, contribui decisivamente para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e com o desenvolvimento de nossa cidade”, sublinhou Paulo Roberto.


O prefeito de Ribeirão Preto, Antônio Duarte Nogueira Júnior lembrou o quanto a retomada presencial da FIL foi desejada após dois anos de suspensão por conta da pandemia do Coronavírus e destacou a importância da palavra. “A palavra é criadora, formadora e transformadora. A literatura é a essência da existência da humanidade e quanto mais ela for valorizada, mais próximo da justiça, da equidade e da pluralidade estaremos em nossa cidade”, enfatizou o prefeito.



Apresentação ALMA

No encerramento, Sérgio de Sá Leitão, secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, representando o governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia afirmou que é uma honra para o Governo do Estado Paulo apoiar a Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto, por meio do ProAC, um dos programas de fomento à cultura e à economia criativa mantidos pelo governo estadual. “E é fundamental que um evento como esse ocorra dessa maneira tão magnífica e tão brilhante porque sabemos que o livro e a literatura nos elevam, nos fazem pessoas melhores, nos enriquecem espiritualmente e intelectualmente e são transformadores”, finalizou Sá Leitão.


Também estiveram presentes o presidente da Fundação Dom Pedro, Nicanor Lopes; o secretário municipal de Educação, Felipe Elias; a secretária municipal de Cultura e Turismo, Isabella Pessotti; a superintendente da Fundação Instituto do Livro, Cristiane Bezerra; o coordenador editorial da Edições Sesc, Francis Mazoli; o assistente de Literatura da Gerência de Ação Cultural do Sesc São Paulo, André Dias; e o gerente adjunto do Sesc de Ribeirão Preto, Lucas Molina.


Sobre a Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto


A 21ª edição da Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto aconteceu de 20 a 28 de agosto de 2022 e trouxe como proposta de reflexão o tema “Do Caburaí ao Chuí: a força da Literatura Brasileira”. A proposição embasou todas as atividades e debates do evento. A feira consagrou-se como um dos maiores eventos culturais do país: 21 anos de história e 20 edições realizadas. Em 2020, a feira tornou-se internacional e em 2021 realizou sua 20ª edição, pela primeira vez, no formato on-line, devido à pandemia do Coronavírus.

Realização: Ministério do Turismo, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, Usina Alta Mogiana, GS Inima Ambient e Fundação do Livro e Leitura apresentam a 21ª Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL). Patrocínio Diamante: Usina Alta Mogiana e GS Inima Ambient. Patrocínio Ouro: GasBrasiliano e Savegnago. Patrocínio Prata: Passalacqua, Premier Pet, Pedra Agroindustrial, Ribeirãoshopping e Riberfoods, Usina Vertente,Tereos e Vittia. Patrocínio Bronze: Supermercados Gricki, MazaTarraf, Tracan, Santa Helena. Patrocínio: Madeiranit, Usina São Martinho, Tarraf. Instituição Cultural: SESC. Parceria Cultural: Fundação Dom Pedro II – Theatro Pedro II, Alma – Academia Livre de Música e Artes, Biblioteca Sinhá Junqueira, Centro Cultural Palace, Instituto do Livro, CUFA, A Fábrica, IPCCIC – Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais, Teatro Municipal de Ribeirão Preto, AbaCare, Associação de Surdos, CAEERP, FADA, Fundação Panda, Ribdown, SOMAR. Apoio: ACIRP, Base Química , Cenourão, Combustran, DTEK, Durati Distribuidora, Lopes Material Rodante,Molyplast, Mialich supermercados, Santa Emília, Transmogiana,Tonin, Vantage – Geo Agro, ViaBrasil, Coderp, Transerp, Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Secretaria de Cultura e Turismo, Secretaria de Educação, Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria de Infraestrutura. Apoio Cultural: Convention Bureau, Colégio Marista, Diretoria de Ensino – Região de Ribeirão Preto, ETEC – José Martimiano da Silva, Educandário, SESI, Barão de Mauá, Centro Universitário Moura Lacerda, Unaerp, NW3, Grupo Utam, Monreale Hotéis, Painew, Verbo Nostro Comunicação Planejada e Instituto Unimed.


botao_fixo.png