top of page

Abertura da 21ª FIL teve música, teatro e leituras de cartas “enviadas pelo Brasil”

Na sala principal do Theatro Pedro II, solenidade contou com presença de autoridades locais e estaduais, alguns dos homenageados da edição, representantes de entidades parceiras e imprensa



Cerimonial de Abertura no Theatro Pedro II

Foi oficialmente aberta na noite do dia 19 de agosto, a 21ª Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto (FIL), considerada como um dos maiores eventos culturais do país. Entre convidados, autoridades locais, regionais e estaduais, imprensa, representantes das entidades parceiras e público em geral, a solenidade teve recepção ao público com o Coral da Unaerp sob regência de Cristina Modé, e apresentação do espetáculo “Terra Brasílis: toda esta poesia!”, com a Academia Livre de Música e Artes (Alma).



Presidência Fundação do Livro, Dulce Neves, Edgar de Castro, Adriana Silva e Viviane Mendonça

A presidente da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Dulce Neves; juntamente com Adriana Silva, curadora do evento e vice-presidente da Fundação, conduziram o cerimonial de abertura da FIL, que começou de forma criativa e poética, com leituras de cartas enviadas pelo Brasil a realizadores e participantes da feira, homenageados e ao público em geral, com participação da cantora Fernanda Marx e do ator Marcelo Evangelisti no papel de carteiro da cerimônia.


Em sua fala, Dulce Neves pontuou o desafio que representa a ousadia de fazer cultura num Brasil tão contraditório. Adriana Silva convidou o público a se sentir inspirado pela genialidade de Ariano Suassuna e pela convocação de Carolina Maria de Jesus contra a fome e a intensificar as identidades culturais brasileiras por meio dos livros de Daniel Munduruku.