Circuito de palestras debate papel dos coletivos e academias na difusão cultural


A Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto promoveu no dia 10/11 o Circuito de Palestras com autores locais. O tema foi “O papel dos coletivos e academias na difusão cultural” e contou com a participação de membros da Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto (Alarp): Gilda Montans, presidente; Eliane Ratier, secretária; Gustavo Molinari, tesoureiro; e Sonia Albuquerque, coordenadora da área de Artes Plásticas.


Para a secretária da Alarp e escritora, Eliane Ratier, esse tipo de debate é fundamental pois apresenta a Academia para a população. “É uma maneira de mostrarmos como funciona a nossa instituição, sua estrutura, o que acontece lá dentro, como as pessoas são escolhidas e entram, e as atividades que promovemos”, comentou.


Segundo a presidente da instituição, a Alarp vive o momento de planejar várias atividades culturais para Ribeirão Preto. “Não só apoiando, como também estamos procurando ajudar no que for possível com nossa produção e equipe. Espero que em 2022 estejamos em uma situação muito melhor do que em 2021 e 2020, um período que limitou nosso campo de ação à internet, por conta da pandemia”, relatou Gilda Montans.


O espaço da Alarp possui um vasto conteúdo cultural de Ribeirão Preto e é destinado à população, como reforçou Eliane Ratier. “A Academia é guardiã da história da arte da cidade. Muitas vezes, valorizamos o que é de fora e não olhamos para dentro. E aqui juntamos os talentos locais, que possuem uma qualidade que não fica devendo para nenhum lugar no mundo”.


A secretária ainda destaca que muitos dos integrantes da Alarp acabam produzindo diferentes manifestações culturais simultaneamente. “Temos cantores e escritores; escritores e pintores; cantores e artistas plásticos. Há um intercâmbio e uma convivência entre as artes que estimulam cada um a aflorar a sua criatividade”, contou Eliane.


O potencial e o campo de possibilidades geradas pela criatividade dos artistas também foram citados por Gilda. “Temos um diferencial: ser uma Academia Multidisciplinar das Artes, porque é assim que a arte nasce. É só olharmos para a criança – ela faz a arte brincando. Canta, dança, desenha e extrapola sua criatividade”, refletiu a presidente.


Para assistir ao encontro na íntegra, basta acessar o vídeo acima.

botao_fixo.png