top of page

Livro “Água Nossa de Cada Dia” é lançado no Dia Mundial da Água

Evento de lançamento aconteceu na sede da GS Inima Ambient, em Ribeirão Preto. Publicação traz, além da poesia, 50 imagens de 17 fotógrafos que retratam a conservação da água


Lançamento do livro "Água Nossa de Cada Dia" (Foto: Willian Diez)

“O sonho sozinho, é só um sonho. Mas, aquele sonho que se sonha junto, é realidade”. Foi assim que a presidente da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Dulce Neves, iniciou o lançamento da obra “Água Nossa de Cada Dia”, uma parceria da entidade com a GS Inima Ambient, através do sonho do publicitário Paulo Henrique Oliveira. O evento aconteceu em 22 de março, Dia da Água, na sede da GS Inima Ambient, com abertura musical do grupo “Nós Trio”, formado por três integrantes da Alma - Academia Livre de Música e Artes de Ribeirão Preto: Gladys de Pádua (piano), Igor Pichi (clarinete) e Bruno Mendes (violoncelo).


Paulo Henrique Oliveira, durante o lançamento do livro "Água Nossa de Cada Dia" (Foto: Willian Diez)

A publicação traz 50 imagens de 17 fotógrafos brasileiros e estrangeiros: Alexandre Marchetti, Alex Pazuello, Amdad Hossain, Cristiano Xavier, Enrico Marone, Érico Hiller, Jae Woon U, Joan Carol, Livia Rebehy, Luciano Candisani, Marcos Amend, Margi Moss, Renato Soares, Ricardo Feres, Sátiro Sodré, Sté Frateschi e Yousuf Tushar. As imagens foram selecionadas por uma curadoria formada por Paulo Henrique Oliveira, Dulce Neves e Adriana Silva, educomunicadora e vice-presidente da Fundação do Livro e Leitura. “Conseguimos colocar em prática, com a ajuda da Fundação, o sonho de uma publicação com poesias e imagens, como forma de conscientização da preservação deste recurso hídrico”, disse Paulo Henrique Oliveira.


Os olhares da água

Alexandre Marchetti, Enrico Marone, Livia Rebehy e Ricardo Feres durante sessão de autógrafos no lançamento do livro "Água Nossa de Cada Dia" (Foto: Willian Diez)

Presente no evento, o fotógrafo Alexandre Marchetti trouxe registros da usina hidrelétrica de Itaipu, na região de Foz do Iguaçu. Segundo ele, em seus 32 anos de carreira, 16 foram registrando a usina e suas regiões. “Itaipu é sempre um case de sucesso nos eventos ambientais em que o Brasil participa. Se um dia ela parar de funcionar, as pessoas que bebem das águas que banham a usina, vão continuar ingerindo uma água limpa, pelo trabalho consciente que ela faz”, lembrou o fotógrafo.


Enrico Marone também esteve presente na manhã de lançamento e, no livro, suas fotos retratam a atividade do ser humano em comunhão com o oceano. “Minha participação traz esse olhar: do oceano - tão importante para o nosso planeta, inclusive, com a produção de oxigênio dos fitoplânctons - cerca de 10% do oxigênio vem de lá”, lembrou o fotógrafo.


O verbo da água

Adriana Silva e Dulce Neves durante o lançamento do livro "Água Nossa de Cada Dia" (Foto: Willian Diez)

“A ideia deste livro é proporcionar um despertar em nossos filhos, alunos e toda a sociedade a importância de conservação do planeta, sobretudo a água”, disse Dulce Neves.


Todo o conteúdo do “Água Nossa de Cada Dia” foi escrito pela jornalista Adriana Silva. “Foi um desafio por conta da própria autoridade das fotos. Por si só, as imagens já carregam muitas mensagens. O exercício foi pensar o não pensado e tentar entender o que os fotógrafos estavam pensando. Foi muito divertido”, revelou.


O livro pode ser acessado neste endereço para download.

Kommentare


botao_fixo.png
bottom of page