"Vivemos em uma sociedade homofóbica em função de toda uma organização heteronormativa", disse João

Escritor participou de encontro on-line no dia 16/6 e relembrou acontecimentos do passado que marcaram sua vida e a luta da comunidade LGBTQIAP+



Mais um encontro on-line fez parte da programação da 40tena Cultural, desta vez no dia 16/06, com a presença do escritor e fundador do grupo "Somos de Liberação Homossexual" e do jornal "Lampião da Esquina", João Silvério Trevisan, no bate-papo "Luta e respeito a diversidade". A mediação foi do psicólogo Marcelo Augusto.


Com 14 livros publicados (entre ensaios, romances e contos), João Silvério Trevisan relembrou como foi viver em um período de conservadorismo extremo. Em 1973 esteve em autoexílio por três anos fora do Brasil – na Califórnia (EUA), período de lutas e protestos estudantis contra a disseminação de informações falsas do vírus da AIDS. "Queria conhecer um pouco do que acontecia no mundo. Porque, aqui no Brasil, a esquerda era muito fechada", revelou.


Três anos depois, de volta ao Brasil, Trevisan lembrou que nada havia mudado no País e que a situação havia se agravado. "Tive saudade do que eu tinha encontrado nos EUA: era uma comunidade LGBT que debatia o tempo todo, muito viva e consciente politicamente. Não tínhamos nenhum empecilho para discutir todos os temas que estavam ao alcance". Na época, segundo ele, não haviam espaços para discussões LGBT no Brasil e os únicos lugares onde a comunidade poderia se encontrar eram os parques, clubes, boates e saunas e, mesmo assim, com a possibilidade de ter invasão policial.


"As discussões na época eram uma questão de sobrevivência. Não estávamos querendo ser heróis, nós precisávamos sobreviver", disse Trevisan que também é escritor de literatura ficcional, ensaística e infantojuvenil, além de coordenar oficinas literárias.


Quem quiser acompanhar o bate-papo na íntegra com João Silvério Trevisan, o link do encontro está disponível no início do texto 👆🏻 e também em nosso canal do Youtube.


botao_fixo.png